Skip to content

1 e 2 Coríntios

28/01/2012

1. INTRODUÇAO
As cartas aos Coríntios são especialmente importantes para compreendermos o que significa a teologia de tarefa, que estudamos na Introdução às cartas do NT. Nelas também encontramos um Paulo firme, contundente, mas também compassivo e gracioso, abrindo seu coração àquela igreja problemática e cheia de dúvidas.

2. QUEM? (Autoria)
Mais uma vez, Paulo é reconhecido como o autor da carta tanto no texto da carta (1.1,2; 16.21) quanto pela tradição cristã. No versículo 1 menciona o nome de Sóstenes, que era o chefe da sinagoga local, convertido ao cristianismo (ver Atos 18.17). Este não foi o co-autor da carta, mas alguém que provavelmente estava com Paulo no momento da escrita e concordava com seus termos, além de ser bem conhecido dos coríntios.

3. QUANDO? ONDE? (Data e Local)
Paulo estabeleceu a Igreja em Corinto por volta de 50-51 dC, quando passou dezoito meses lá em sua segunda viagem missionária (At 18.1-17). Ele continuou a cuidar da igreja depois de sua partida (1Co. 5.9; 2Co 12.14). Durante esse ministério de três anos em Éfeso, em sua terceira viagem missionária (At 19), ele recebeu relatórios perturbadores sobre a complacência moral existente entre os crentes de Corinto. Para remediar a situação, ele enviou uma carta à igreja (1Co. 5.9-11), que depois se perdeu. Pouco depois, uma delegação enviada por Cloe, membro da igreja em Corinto fez um relato a Paulo sobre a existência de divisões na igreja. Antes que pudesse escrever uma carta corretiva, chegou outra delegação de Corinto com uma carta fazendo-lhe certas perguntas (7.1; 16.17). Paulo enviou imediatamente Timóteo a Corinto (4.17). Então, ele escreveu a carta que conhecemos como 1 Co. (16.10). Visto que Paulo, aparentemente, escreveu a carta próximo ao fim do seu ministério em Éfeso (16.8), ela pode ser datada de 55 dC.
2Co foi escrita no mesmo ano – 55 dC – na Macedônia.
Os vários episódios nas interações entre Paulo e os coríntios podem ser resumidos conforme a seguir:

  •   Paulo plantou a igreja de Corinto em sua segunda viagem missionária (At 18);
  •   Paulo escreveu um epístola anterior a 1Co (1Co 5.9) que foi mal interpretada;
  •   Paulo escreveu 1Co em Éfeso durante sua terceira viagem missionária;
  •   Uma breve, porém dolorosa, visita a Corinto causou “tristeza” a Paulo e à igreja (2Co 2.1; 12.17; 13.1 e 2). Esta visita não está relatada em Atos.
  •   Depois dessa dolorosa visita, Paulo escreveu uma epístola severa, entregue por Tito (2Co 2.4; 7.6-8), carta esta que também se perdeu.
  •   Paulo escreveu 2Co da Macedônia, durante seu caminho de volta a Corinto.
  •   A visita final de Paulo a Corinto (At 20), ocorreu quando ele escreveu Rm, pouco antes de voltar a Jerusalém. A visita dolorosa e a carta severa fornecem o pano de fundo imediato para a redação de 2Co.

4. PARA QUEM? (A cidade e a igreja de Corinto)
Corinto era a capital política da Acaia. No seu auge chegou a ter 750.000 habitantes. Em 146 aC foi totalmente destruída por Roma. Devido à sua localização privilegiada, foi totalmente reconstruída em 46 aC por Julio César. Na época de Paulo era o maior centro comercial daquela região, com 2 portos.
A cidade era consagrada a Afrodite (Vênus). Como toda cidade portuária, havia muita promiscuidade. Além de imoral, era uma cidade orgulhosa de seus jogos e concursos de oratória. Esse orgulho e entusiasmo pelo sucesso e realização pessoal acabaram por contaminar a igreja de Corinto, causando uma série de desajustes. Entre eles podem ser citados, em 1 Co, o espírito sectário, desavenças, ingestão de alimentos oferecidos a ídolos, falta de ordem no culto, dons espirituais e a ressurreição do corpo. Em 2 Co temos a infiltração de falsos mestres que desafiavam tanto a integridade pessoal de Paulo quanto sua autoridade apostólica.

5. POR QUE?
A intenção de Paulo ao escrever 1Co era responder às dúvidas e aos problemas que foram apresentados pelos da casa de Cloe e pela delegação formada por Estéfanas, Fortunato e Acaico (1Co. 16.17). Paulo está lidando com a questão do orgulho e do prestígio, pois alguns membros da igreja de Corinto tentavam estabelecer sua superioridade espiritual em relação aos outros, seja por causa do líder que seguem (1 – 4), seja porque se consideravam mais puros (7) ou porque não comiam carne dos ídolos (8), seja porque tinham influência na cidade (11) ou porque falavam em línguas estranhas (12 – 14). Além disso, havia a imoralidade, típica de Corinto, que se infiltrou na igreja (5).
Já 2Co foi escrita para expressar a alegria de Paulo com o arrependimento da maioria da igreja coríntia após a leitura da carta severa (2Co. 7.9); ressaltar a coleta que faria entre os coríntios para os crentes de Jerusalém (caps 8 e 9); e defender sua autoridade apostólica diante dos recalcitrantes (caps. 11 a 13)

6. COMO?
1Co é estruturada em função dos diversos problemas apresentados. Assim temos

  •   Caps 1 a 4: a divisão na igreja
  •   Caps 5 e 6: desordem moral e ética
  •   Cap. 7: orientações sobre casamento
  •   Caps. 8 a 10: práticas questionáveis
  •   Caps. 11 a 14: instruções sobre a adoração pública
  •   Cap. 15: a ressurreição
  •   Cap. 16: questões práticas e pessoais

A palavra chave para entendermos 1Co é igreja. Paulo ensina que a igreja deve ser santa, unida e amorosa, porque Deus é santo, uno e amoroso. A igreja existe para manifestar o caráter de Deus.
O que deixava os coríntios orgulhosos era loucura para Deus e a loucura de Deus, revelada no evangelho, era verdadeira sabedoria, poder e força (1Co 1.10-31).
2Co é a mais autobiográfica epístola de Paulo. Permite-nos ver os sentimentos mais íntimos sobre si mesmo, sobre seu ministério e sobre seus relacionamentos com as igrejas. A carta se divide naturalmente em 3 partes:

  •   Paulo explica a razão pela qual não fará duas visitas curtas e sim uma demorada (caps. 1 a 7).
  •   Incentiva os coríntios a realizarem a coleta para Jerusalém (caps. 8 e 9)
  •   Defende sua autoridade apostólica (caps. 10 a 13).

Nesta epístola Paulo contrasta a aparente força dos que o estavam enfrentando (e se dizendo apóstolos) com a aparente fraqueza dos pobres (cap. 8), dele mesmo e de Deus. Paulo não esconde seus sofrimentos e angústias (ex. 4.7-18; 6.3-13) e mostra que ser apóstolo é participar dos sofrimentos de Cristo, que sendo rico se fez pobre (8.9), foi rejeitado, sofreu e morreu.

Anúncios

From → Novo Testamento

Deixe um Comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: