Skip to content

Romanos

28/01/2012

1. INTRODUÇAO
A carta aos Romanos é a mais longa e a mais citada das cartas paulinas. Como definiu Lutero, trata-se do “puro evangelho”. Embora seja, como toda carta, um documento ocasional, é a que mais se assemelha a um tratado teológico sistemático.

2. QUEM? (Autoria)
Não há dúvidas sobre a autoria de Paulo, declarada logo na abertura da carta (1.1). Tércio, identificado em 16.22, atuou como um escriba de Paulo, redigindo a medida que o apóstolo ditava.

3. QUANDO? ONDE? (Data e Local)
Pela leitura de Rm. 15.25 e 26, podemos concluir que Paulo estava no final de sua terceira viagem missionária. A contribuição para os cristãos de Jerusalém também é mencionada por Paulo em sua defesa perante Félix (At. 24.17). Ora, isso nos leva ao período de três meses em que Paulo ficou hospedado na casa de Gaio, em Corinto. Esse fato está registrado em At. 20.2 e 3. A data provável dessa estadia é 57 d.C.

4. PARA QUEM? (A igreja em Roma)
A igreja em Roma não foi plantada por Paulo e nunca havia sido visitada por ele. Como surgiu uma comunidade cristã em Roma? É pouco provável que tenha sido Pedro o fundador da igreja, pois este estaria em Jerusalém na época em que o Cristianismo chegou em Roma.
A hipótese mais provável é que judeus vindos de Roma tenham se convertido no dia de Pentecoste (Lucas menciona judeus romanos em At. 2.10) e voltado para a capital do império, onde fundaram a igreja.
A igreja era composta em sua maioria de gentios, pois os judeus (mesmo os judeus cristãos) foram expulsos de Roma em 49 d.C (ver At. 18.2). Na época da escrita da carta, o retorno já havia sido autorizado.

5. POR QUE?
A intenção de Paulo está exposta em Rm. 15. 14-29. Paulo avalia seu trabalho até o momento e vislumbra a possibilidade de ir até a Espanha. Para isso, precisa contar com o apoio da igreja de Roma.
Como Paulo nunca visitou Roma, era necessário se apresentar àquela igreja a fim de obter o apoio em sua missão.
Mas Paulo também aproveita a carta para corrigir distorções e divisões entre os cristãos de origem judaica e os de origem gentílica (ver Rm. 14).

6. COMO?
Paulo, tendo os objetivos citados em mente, se apresenta aos romanos e faz uma exposição de sua teologia e do verdadeiro evangelho.
Assim, após sua costumeira introdução, na qual se apresenta e saúda a igreja, o apóstolo divide sua carta da seguinte maneira:

  • O Evangelho como justiça de Deus mediante a fé (1.18-4.25)
  • O Evangelho como poder de Deus para a salvação e santificação (5.1-8.39)
  • O Evangelho e Israel (9.1-11.36)
  • O Evangelho e a transformação da vida (12.1-15.13)
  • Conclusão epistolar (15.14-16.27)

Uma característica especial de Romanos é o desenvolvimento lógico do pensamento de Paulo na apresentação do plano eterno de Deus para a salvação do homem.

Anúncios

From → Novo Testamento

Deixe um Comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: