Skip to content

Colossenses

03/02/2012

1. INTRODUÇAO
Se Jesus Cristo é menosprezado ou desvalorizado, o que resta da genuína fé cristã? Nesta carta teremos a oportunidade de ouvir o apóstolo Paulo tratar de uma heresia que atingia em cheio o coração da nossa fé. Esta é mais uma das cartas da prisão e que traz uma belíssima exposição sobre a pessoa de Jesus.

2. QUEM? (Autoria)
Não há dúvidas sobre a autoria de Paulo, declarada em 1.1 e 4.18.
Colossenses traz uma lista grande de colaboradores de Paulo:

  •   Tíquico, já mencionado em Ef. 6.21,22.
  •   Onésimo, o mesmo personagem da carta a Filemom.
  •   Aristarco, que esteve com Paulo no tumulto em Éfeso e agora é chamado “companheiro de prisão”.
  •   Marcos, o evangelista. O mesmo que, em Atos, abandonou o apóstolo na primeira viagem missionária e que, mais tarde, foi mencionado pelo apóstolo como “útil para o ministério” (2Tm. 4.11).
  •   Epafras, o fundador da igreja em Colossos (1.7).
  •   Lucas, o autor de Atos e do evangelho, médico companheiro de Paulo.
  •   Demas, que tempos depois abandonou Paulo (2Tm. 4.10)
  •   Arquipo, mencionado também em Fm. 2.
  •   Ninfa, em cuja casa reúne-se uma igreja.

3. QUANDO? ONDE? (Data e Local)
O ponto de vista tradicional aponta Roma (60 dC) como o local da escrita, da mesma forma que Efésios, Filipenses e Filemom.

4. PARA QUEM? (A cidade de Colossos e os colossenses)
A cidade de Colossos, na Ásia Menor, tinha sido um importante centro comercial, localizado na rota entre Éfeso e o Rio Eufrates. No tempo de Paulo já se encontrava em franca decadência.
A semelhança de Roma, esta cidade não foi visitada pelo apóstolo antes de receber uma carta sua. Logo, a igreja que lá havia não foi plantada por Paulo.
Tudo indica ter sido Epafras o fundador da igreja colossense (1.7,8). Lemos em Colossenses sobre igrejas também em Laodicéia e Hierápolis, cidades vizinhas de Colossos.
A população de Colossos era composta principalmente de frigis e gregos, mas algumas famílias de origem judaica foram instaladas naquela cidade na época de Antíoco III (mais de 200 anos antes de Paulo). Portanto, as raízes culturais da cidade eram diversas, o que proporcionou o desenvolvimento de uma “heresia colossense”, o que veremos no próximo tópico.

5. POR QUE? (Teologia de tarefa)
A epístola aos Colossenses gira em torno da chamada “heresia colossense”. Não sabemos ao certo todos os detalhes dessa filosofia, mas, pelo teor da carta escrita pelo apóstolo, podemos dizer que era um misto de legalismo judaico com especulações filosóficas gregas e misticismo oriental.
Podemos destacar algumas de suas características a partir da carta aos colossenses:

  •   Cerimonialismo (2.16,17; 2.11; 3.11): regras sobre festas, circuncisão e comida e bebida permitidas ou proibidas.
  •   Ascetismo (2.21; 2.23)
  •   Adoração a anjos (2.18)
  •   Depreciação de Cristo: o fato da encarnação era menosprezado. Jesus era considerado uma divindade inferior. Isso era típico do modo grego de pensar que distinguia entre o espiritual (algo bom) e o material (algo mau)
  •   Conhecimentos secretos (talvez por isso Paulo se refira a Cristo como aquele em quem estão escondidos os tesouros da sabedoria, em 2.3)
  •   Dependência da sabedoria e da tradição humana

6. COMO? (organização e mensagem)
Paulo organiza sua carta em duas seções:

  •   Seção doutrinária – caps. 1 e 2
  •   Seção exortativa – caps. 3 e 4

Na primeira seção, Paulo acentua a supremacia de Cristo sobre todos os poderes e sobre toda sabedoria deste mundo (1.15-20). Não poderia ser diferente, diante da heresia combatida. Note que Paulo dá a ênfase ao Cristo encarnado (imagem, em 1.15; corpo físico, em 1.22), sem perder a dimensão cósmica e eterna do Filho de Deus.
Na segunda seção, Paulo fala da nova vida que é experimentada por aqueles que estão em Cristo. Essa regeneração interior se manifesta por atos físicos de bondade e misericórdia, como também pela mortificação do pecado e das paixões carnais.
Em resumo, a vida cristã é única. Tanto o material quanto o espiritual estão unidos em Jesus. É uma vida concedida por Deus, vivida para Deus, vivida em relacionamento com Deus, em todas as esperas (material e espiritual), e em relacionamentos uns com os outros.

Anúncios

From → Novo Testamento

2 comentários
  1. Ricardo Robson permalink

    O apóstolo, em Colossenses, afirma ter escrito uma carta a igreja de Laudicéia que deveria ser lida também pelos de Colossenses. Qual seria o conteúdo dessa carta? Que preocupações o levara a escrever a esta igreja? Não sabemos. Décadas mais tarde, temos um lamentável retrato da igreja de Laudicéia – uma igreja morna, mostrada nas cartas as sete igrejas da Ásia escrita por João, citada em Apocalipse. Onde Jesus, não mais do lado de dentro, coloca-se do lado de fora, batendo para entrar – “…Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo. Ao que vencer, eu lhe concederei que se assente comigo no meu trono. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas. ”
    Bem, o recado foi dado pelo próprio Jesus. Não apenas a eles, mas a todos nós.

    • Ricardo,
      Alguns estudiosos identificam a carta aos laodicenses, mencionada em Cl., como a carta aos Efésios, que seria uma carta circular. Para maiores detalhes, consulte o post sobre Efésios.
      Abs e obrigado por participar.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: