Skip to content

O culto familiar II

29/02/2012

O Dever do culto familiar

Dada a importância do culto familiar como uma potente força para ganhar incontáveis milhões para a verdade do evangelho através das eras, nós não devemos nos surpreender que Deus requer que os cabeças dos lares façam tudo o que puderem para guiar suas famílias em culto ao Deus vivo. Josué 24:14-15 diz, “Agora, pois, temei ao Senhor, e servi-o com sinceridade e com verdade; deitai fora os deuses a que serviram vossos pais dalém do Rio, e no Egito, e servi ao Senhor. Mas, se vos parece mal o servirdes ao Senhor, escolhei hoje a quem haveis de servir; se aos deuses a quem serviram vossos pais, que estavam além do Rio, ou aos deuses dos amorreus, em cuja terra habitais. Porém eu e a minha casa serviremos ao Senhor”.

Repare três coisas neste texto: Primeiro, Josué não fez da adoração ou culto ao Deus vivo uma opção. No verso 14, ele ordenou Israel a temer o Senhor. No verso 15 ele enfatiza que o Senhor deseja ser adorado e cultuado voluntariamente e deliberadamente em nossas famílias.

Segundo, no verso15, Josué reforça o culto a Deus em família com seu próprio exemplo. O verso 1 [5]demonstra que ele estava se endereçando aos cabeças dos lares. Verso 15 declara que Josué irá fazer o que ele quer que todo chefe de família em Israel faça: “servir ao Senhor.”. Josué tem tal comando sobre sua família que ele fala em nome de toda sua casa: “Porém eu e a minha casa serviremos ao Senhor”, ele diz. Diversos fatores reforçam esta ousada declaração.

• Quando Josué faz esta declaração ele estava com mais de 100 anos de idade. Ele tem o zelo notável como um ancião.

• Josué sabia que seu controle direto sobre sua casa iria em breve terminar. Deus tinha falado a ele que em breve ele morreria. Mesmo assim Josué está seguro que sua influência irá continuar sobre sua família e que eles não irão abandonar a adoração após sua morte.

• Josué sabe que ainda havia muita idolatria em Israel. Ele tinha acabado de dizer ao povo para afastar os falsos deuses (v. 14). Ele sabia que sua família iria nadar contra a correnteza em continuar servindo ao Senhor – mesmo assim ele enfaticamente declara que sua família irá proceder assim de qualquer maneira.

• Os registros históricos mostram que a influência de Josué foi tão penetrante que grande parte da nação seguiu seu exemplo por pelo menos uma geração. Josué 24:31 diz, “Serviu, pois, Israel ao Senhor todos os dias de Josué, e todos os dias dos anciãos que sobreviveram a Josué e que sabiam toda a obra que o Senhor tinha feito a favor de Israel.”. Que encorajamento aos pais tementes a Deus em saber que o culto que eles manteram em seus lares pode durar gerações após eles!

Terceiro, a palavra servir no verso 15 é uma palavra abrangente. Ela é traduzida como adoração (culto) muitas vezes nas Escrituras. A palavra original não inclui apenas servir a Deus em todas as esferas de nossas vidas, mas também em atos especiais de culto . Aqueles que interpretam as palavras de Josué de um modo vago, ambíguo, perdem de vista este ensinamento essencial. Josué tem muitas coisas em mente, incluindo a obediência a todas as leis cerimoniais envolvendo o sacrifício de animais que aponta para o Messias que viria cujo sacrifício de sangue seria efetivo para pecadores uma vez por todas.

Certamente todo marido temente a Deus e pastor deve dizer como Josué: “Porém eu e a minha casa serviremos ao Senhor. Nós buscaremos a Deus, cultuaremos a Ele e oraremos a Ele como família. Nós leremos Sua Palavra, repleta de instruções e reforçar seus ensinamentos em nossa família.”. Todo pai representante deve perceber, como Kelly diz, “O princípio representativo inerente na aliança de Deus lidando como nossa raça indica que o cabeça de cada família deve representar sua família perante Deus em divina adoração e que a atmosfera espiritual e o bem-estar pessoal dessa família será afetada em grande medida pela fidelidade – ou fracasso – do cabeça da família nesta área.”.

De acordo com as Escrituras, Deus deve ser servido em atos especiais de adoração em família hoje de três seguintes maneiras:

(1) Instruções diárias na Palavra de Deus. Deus deve ser cultuado pela leitura diária e instruções da Sua Palavra. Através de perguntas, respostas, e instruções, pais e crianças interagem diariamente um com o outro sobre verdades sagradas. Como diz Deuteronômios 6:6-7, “E estas palavras, que hoje te ordeno, estarão no teu coração; e as ensinarás a teus filhos, e delas falarás sentado em tua casa e andando pelo caminho, ao deitar-te e ao levantar-te.” (cf. Deuteronômios 11:18-19)

As atividades que este texto ordena são atividades diárias que acompanham deitar-se a noite, levantar-se pela manhã, sentado em casa, e andando pelo caminho. Num lar comum, estas atividades são realizadas em horários específicos do dia. Eles oferecem oportunidades para instruções diárias regulares e consistentes. Moisés não estava sugerindo um simples papo, porém conversação diligente e instrução diligente que flui de um coração inflamado de um pai. Moisés diz que Palavras de Deus devem estar no coração do pai. Pais devem ensinar diligentemente estas palavras a seus filhos.

Um texto paralelo no Novo Testamento é Efésios 6:4, “E vós, pais, não provoqueis à ira vossos filhos, mas criai-os na disciplina e admoestação [ex. instrução] do Senhor. ”. Quando pais não podem preencher este dever pessoalmente, eles devem encorajar suas esposas a levarem este preceito. Por exemplo, Timóteo se beneficiou grandemente das instruções diárias da sua mãe e avó tementes a Deus.

(2) Orações diárias ao trono de Deus. Jeremias 10:25 diz, “Derrama a tua indignação sobre as nações que não te conhecem, e sobre as famílias que não invocam o teu nome”. Enquanto é bem verdade que no contexto de Jeremias 10:25, a palavra famílias refere-se as tribos, esta palavra também se aplica pra famílias particulares. Nós podemos passar de unidades maiores para unidades menores. Se a indignação de Deus recai sobre tribos ou grupos de famílias que negligenciam a oração pública, quão mais intensa não cairá Sua indignação sobre famílias individuais que se negam a invocar o Seu nome? Todas as famílias devem invocar o nome de Deus ou sujeitarem-se ao desagrado de Deus.

Famílias devem orar juntas diariamente a não ser por dificuldades de providências. Considere o Salmo 128:3 “A tua mulher será como a videira frutífera, no interior da tua casa; os teus filhos como plantas de oliveira, ao redor da tua mesa.”. Famílias comem e bebem a provisão diária da graça de Deus as suas mesas. Para fazer isso de um modo cristão, a família deve seguir I Timóteo 4:4-5, “pois todas as coisas criadas por Deus são boas, e nada deve ser rejeitado se é recebido com ações de graças; porque pela palavra de Deus e pela oração são santificadas.”. Se você deseja comer e beber para a glória de Deus (I Coríntios 10:31) [6], e a comida que você está prestes a comer está separado para este propósito, você deve santifica-la pela oração, diz Paulo. E como oramos pela comida e pela bebida para serem santificadas e abençoadas para a nutrição dos nossos corpos, então devemos orar pela benção de Deus que é a Sua Palavra para a nutrição de nossas almas. “Nem só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que sai da boca de Deus.” (Deuteronômios 8:3; Mateus 4:4).

Além do mais, as famílias não cometem pecados diariamente? Não devem elas buscar perdão diariamente? Deus não as abençoa de muitas maneiras todos os dias? Não devem essas bênçãos ser lembradas diariamente em ações de graças? Não devem elas entregar a Deus todos os seus caminhos, suplicando a Ele para direcionar seus caminhos? Não devem elas diariamente confiar a si mesmas ao Seu cuidado e proteção? Como disse Thomas Brooks, “Uma famílias sem oração é como uma casa sem telhado, aberta e exposta a todas as tempestades do céu.”.

(3) Cantar diariamente louvores a Deus. Salmo 118:15 diz, “Nas tendas dos justos há jubiloso cântico de vitória; a destra do Senhor faz proezas.”. Esta é uma referência clara ao canto. O salmista disse que há júbilos (não simplesmente deve haver ) nas tendas dos justos. Philip Henry, pai do famoso Matthew Henry, acreditava que este texto provê base bíblica para o canto de Salmos nas famílias. Ele argumentava que cantos de júbilo vêm de tendas individuais (famílias) dos justos. Sendo assim, o som de júbilo e salvação deve levantar-se dos lares familiares diariamente.

Salmo 66:1-2 diz similarmente, “Louvai a Deus com brados de júbilo, todas as terras. Cantai a glória do seu nome, dai glória em seu louvor.”. Aqui o dever de louvar a Deus em canções está sobre todas as terras, todas as nações, todas as famílias, todas as pessoas. Segundo, nossas canções devem ser os Salmos dados por inspiração de Deus que mostra a glória do Seu Nome – o verbo “Cantai” (zamar) é a raiz da palavra “Salmo” (mizmor ), e é traduzido em outro lugar por, “Cantar Salmos” (Salmo 95:2) [7]. Terceiro, nos devemos louvar a Ele de um modo respeitável, com alta voz (II Crônicas 20:19) [8], com gratidão no coração (Colossenses 3:16) [9], fazendo então o louvor de Deus glorioso.

Deus deve ser louvado diariamente pelo canto dos Salmos. Deus é glorificado e famílias são edificadas. Porque estas canções são Palavra de Deus, cantá-los é um meio de instrução, clareando o entendimento. Cantar promove a devoção assim como aquece o coração. As graças do Espírito são revolvidas em nós, e nosso crescimento na graça é estimulado. “A palavra de Cristo habite em vós ricamente, em toda a sabedoria; ensinai-vos e admoestai-vos uns aos outros, com Salmos, hinos e cânticos espirituais, louvando a Deus com gratidão em vossos corações.” (Colossenses 3:16).

Cabeças das famílias, nós devemos implementar o culto doméstico no lar. Deus requer que adoremos a Ele não somente em privado como indivíduos, mas publicamente como membros do corpo da aliança e comunidade, e socialmente como famílias. O Senhor Jesus é digno disto, a Palavra de Deus ordena isto, e a consciência afirma isso como nosso dever.

Nossas famílias devem submissão a Deus. Deus nos colocou numa posição de autoridade para guiar nossos filhos no caminho do Senhor. Somos mais do que amigos e conselheiros dos nossos filhos; como seus professores e reguladores no lar, nosso exemplo e liderança são cruciais. Revestidos de uma autoridade santa, nos devemos a nossos filhos ensino profético, interseção sacerdotal, e orientações reais (veja Catecismo de Heidelberg, Q. 32) [10]. Nós devemos conduzir o culto familiar pelas Escrituras, oração e louvores.

Aqueles de nós que são pastores, devem amorosamente informar os cabeças dos lares em nossas igrejas que eles devem ordenar seus lares a cultuarem a Deus, como Abraão fez, “Porque Eu o tenho escolhido”, disse o Senhor, “a fim de que ele ordene a seus filhos e a sua casa depois dele, para que guardem o caminho do Senhor, para praticarem retidão e justiça; a fim de que o Senhor faça vir sobre Abraão o que a respeito dele tem falado.” (Gênesis 18:19).

Extraído de http://www.monergismo.com/textos/familia_casamento/culto_familiar_beeke.htm

Anúncios

From → Diversos

Deixe um Comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: