Skip to content

Apocalipse II

14/04/2012

1. ESTRUTURA DO LIVRO:
Prólogo (1.1-8)
Corpo: as 4 visões de João
1ª visão – Cristo e a Igreja (1.9 – 3.22)
2ª visão – Cristo e a história (4.1 – 16.21)
3ª visão – Juízo e vitória (17.1 – 21.8)
4ª visão O Cordeiro e a Noiva (21.9 – 22.5)
Epílogo (22.6-21)

2. PRÓLOGO
Apresentação dos personagens: Jesus Cristo, Deus (Pai), seu anjo, seu servo João.
Resumo do que João viu: testemunho de tudo o que viu, isto é, a palavra de Deus e o testemunho de Jesus Cristo.
Promessa aos leitores: Feliz aquele que lê as palavras desta profecia e felizes aqueles que ouvem e guardam o que nela está escrito, porque o tempo está próximo.
Saudação típica de uma carta: João às sete igrejas da província da Ásia: A vocês, graça e paz…
A Trindade e os atributos divinos ressaltados: … aquele que é, que era e que há de vir, os sete espíritos que estão diante do seu trono, Jesus Cristo, que é a testemunha fiel, o primogênito dentre os mortos e o soberano dos reis da terra, o Alfa e o Ômega, o que é, o que era e o que há de vir, o Todo-poderoso.

3. 1ª VISAO: CRISTO E A IGREJA
A visão é do “Filho do Homem” (v. Dn. 7.13-14). O rei está em meio aos candelabros, que são identificados como as 7 igrejas. Trata-se de 7 igrejas históricas, mas que representam a totalidade da igreja de Deus em todos os tempos.
A descrição que João dá desse personagem é extraordinária e serve para mostrar quem é que está cuidando da igreja (1.17-18). Só depois de ver o Rei é que João recebe a missão de escrever.
As 7 cartas são o testemunho de Cristo as igrejas. Todas seguem um padrão: Saudação e apresentação; apreciação / reprovação; palavras de alerta e exortação; promessa ao vencedor.

4. 2ª VISAO: CRISTO E A HISTÓRIA
Esta é a visão mais extensa, na qual podemos perceber a técnica do paralelismo progressivo. Vamos examiná-la por partes.
Cap. 4: a sala do trono. Deus está regendo a história (“o que deve acontecer”, no verso 1). A visão é por demais gloriosa, pois além dos personagens, há cânticos triunfantes. Todos os que estão ao redor do trono querem chamar a atenção para aquele que está sentado no trono e que não pode ser descrito com precisão por João. O cap. 4 mostra Deus como o regente de toda a criação, representada pelos 4 seres viventes e pelo arco-íris, e de todo o seu povo, representado pelos 24 anciãos (ver o cântico do v 11).
Cap. 5: o livro e o Cordeiro: o livro nas mãos daquele que está no trono representa todo o testemunho da história. Está escrito de ambos os lados, o que mostra sua importância, mas é selado com 7 selos, que mostra que seu conteúdo é inviolável. Ele fala de toda a vontade de Deus para a história. João ouve falar de um Leão, mas vê um cordeiro, o que indica um rei em forma de servo. Os 7 chifres indica poder perfeito e os 7 olhos fala de sua onisciência. O cordeiro venceu por sua morte e sofrimento (“parecia ter estado morto”) e é o único digno de executar o plano soberano de Deus sobre a história. Este cap. 5 é uma sinfonia da redenção.
Estes dois capítulos mostram algo importante para os leitores de João. Só há um que ocupa o trono e que é digno de todo louvor. E este não é o imperador romano.
Caps. 6-16: O Cordeiro começa a abrir os selos e a executar o juízo de Deus. O que lemos nesta porção são 3 séries de 7 eventos (selos, trombetas e taças) e cada série é finalizada por uma tempestade (ver 8.5; 11.19 e 16.18). Estes capítulos não falam de uma sequência de eventos, mas sim de eventos que se repetem, progridem e se intensificam (compare 8.8,9 com 16.3). A visão, uma após a outra, apresenta imagens que lembram imagens anteriores, como se para enfatizar ou para levar um pouco mais adiante, como uma espiral.
Os 7 selos: é importante notar as semelhanças entre o que é descrito nesta porção com o discurso de Jesus em Mt. 24, Mc. 13 e Lc.21. Enquanto guerras, escassez e morte avançam pelo mundo, o evangelho da paz também avança (4 cavaleiros). João vê os mártires debaixo do altar clamando por justiça, mas a resposta é que outros se juntarão a eles. Vale dizer, o evangelho avança em meio a tribulação que pode trazer sofrimento e morte aos cristãos. Antes do último selo, João ouve um número (144.000 = 12 x 12 x 1000), mas vê uma multidão incontável que é todo o povo de Deus.
As 7 trombetas: assim como os selos, as trombetas nos levam ao fim da história. Trombeta é símbolo de anuncio na Bíblia, mas mesmo com o anuncio claro de Deus e Seu juízo, os homens não se arrependeram (paralelo com os eventos do Êxodo), conforme 9.20,21. No cap. 10, João ouve que o mistério (o plano eterno de Deus) irá se cumprir. Assim como na série de selos temos os 144.000, nesta série temos as duas testemunhas, representando a igreja (duas oliveiras, dois candelabros) que testemunha na terra durante o tempo do fim.
Caps. 12-14: estamos diante do centro teológico do livro. Nesta porção João vê a história por trás da história, o conflito maior entre a semente da mulher e o dragão, a antiga serpente (Gn. 3.15). O cap. 13 irá detalhar o cap. 12 e no cap. 14 veremos o destino das descendências da mulher e do dragão. O número 666 que aparece aqui representa a trindade satânica e derrotada, que tenta a todo custo imitar a trindade santa (ver 13.11).
As 7 taças, a consumação da ira de Deus: a resposta dos homens continua sendo de blasfêmia e guerra contra Deus, mesmo diante de seu juízo iminente (16.14,21).

5. 3ª VISAO: O JUÍZO E A VITÓRIA DE CRISTO

Esta visão é um detalhamento da execução do juízo de Cristo sobre seus inimigos. João descreverá duas cidades: uma é a habitação dos adoradores do Cordeiro, a outra é a habitação dos adoradores da besta. Descreve anda dois personagens femininos, uma prostituta e uma noiva. O que o livro quer mostrar é o nítido contraste entre as duas cidades e as duas mulheres e o destino final de quem se rende a uma ou outra.
Os poderosos da terra se lamentarão pelo fim da Babilônia, mas os santos se alegrarão (cap. 19) e o Cordeiro, Rei dos Reis e Senhor dos Senhores por fim vencerá (19.19-21).
É nesta porção que surge talvez o tema mais debatido de Apocalipse: os 1000 anos, ou, o milênio. Entendemos que o milênio descreve o reino de Cristo que já foi inaugurado com sua primeira vinda (o número é, portanto, simbólico). Com a primeira vinda, Satanás está limitado em suas ações (ver Lc. 10.17; Jo. 12.31,32). A primeira ressurreição é o novo nascimento (ver Ef. 2.4-6).

6. 4ª VISAO
A última visão de João é dos novos céus e nova terra. Há uma dimensão física na nova ordem. Toda a terra será transformada, o que envolve uma destruição e uma renovação. Deus habitará para sempre em sua cidade junto com seu povo.

7. EPÍLOGO

O livro termina com promessas e alertas: Cristo virá em breve e tudo o que Ele disse irá se cumprir. Nós devemos esperar confiantemente, guardando as palavras da profecia deste livro.

Anúncios

From → Novo Testamento

Deixe um Comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: